Bayer oferece estágio através do Ciência Sem Fronteiras




Candidatos devem apresentar um projeto de pesquisa até dia 20 de fevereiro


Estão abertas as inscrições para o programa Ciência Sem Fronteiras, em parceria com a empresa alemã Bayer, que selecionará 29 pesquisadores para estagiar em alguns dos centros de pesquisa, desenvolvimento e inovação da Bayer nos Estados Unidos, Alemanha e França.


Para participar o candidato precisa ser brasileiro ou estrangeiro com visto permanente no Brasil; possuir o título de Doutor no momento da inscrição e propor um projeto de estudos dentro das seguintes áreas temáticas contempladas no programa. Acesse aqui o edital.


Os candidatos devem apresentar um projeto de pesquisa em uma das seguintes áreas temáticas: assuntos médicos globais; desenvolvimento clínico global; pesquisa e desenvolvimento agronômico; serviços globais de tecnologia da informação; pesquisa e desenvolvimento em biologia, química, física e/ou ciências agrícolas; pesquisa e desenvolvimento química ambiental e/ou ecologia; pesquisa e desenvolvimento em química analítica; biologia molecular; bioquímica; agronomia; herbalismo; engenharia química ou engenharia de processos; entomologia; e pesquisa de hematologia.


As bolsas são ofertadas pelo programa Ciência sem Fronteiras (CsF) por meio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). As atividades no exterior deverão começar entre abril e maio. Cada bolsa terá duração de seis meses e poderá ser renovada por até dois anos.


"Estamos muito satisfeitos em apoiar o desenvolvimento científico no Brasil, contribuindo para que estes alunos aperfeiçoem as suas qualificações através do aprendizado em nossos laboratórios de ponta e da tutoria dos experientes cientistas que fazem parte do nosso quadro de colaboradores", disse o presidente do Grupo Bayer no Brasil, Theo van der Loo.



Sobre o Ciências sem Fronteiras


Lançado em dezembro de 2011, o Ciência sem Fronteiras já concedeu mais de 87 mil bolsas. O Programa busca promover a consolidação, expansão e internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade brasileira por meio do intercâmbio e da mobilidade internacional.A iniciativa é fruto de esforço conjunto dos Ministérios da Educação (MEC) e da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) por meio de suas respectivas instituições de fomento – Capes e CNPq.


Além disso, busca atrair pesquisadores do exterior que queiram se fixar no Brasil ou estabelecer parcerias com os pesquisadores brasileiros nas áreas prioritárias definidas no programa, bem como criar oportunidade para que pesquisadores de empresas recebam treinamento especializado no exterior.

#Ciência

Você pode gostar de ler também: