Fanzine de Fevereiro de 2015

Capital da Alegria

Samba,Mulher e Cachaça

Através de um ensaio especial com a médica veterinária, modelo e passista Beatriz Loesch Patrony , a Revista Fanzine de Fevereiro homenageia o Carnaval de Rio Claro e uma de suas escolas mais tradicionais, a SAMUCA, Fundada em 11 de novembro de 1974, que vem se destacando e promete ser a grande estrela dos desfiles de 2015.

 

 

O Carnaval de Rio Claro:

 

Um dos maiores eventos que acontecem no interior de São Paulo. Sua maior atração são os desfiles de escolas de samba, diversos nomes famosos dos carnavais do Rio e São Paulo, como: os intérpretes Douglinhas, Daniel Collête, Royce do Cavaco; os carnavalescos Mauro Quintaes, Rodrigo Cadete e André Machado passaram por aqui. Diversas celebridades também participaram do carnaval de Rio Claro no posto de rainhas de bateria, tais como: Viviane Araújo, Dani Bolina, Sheila Carvalho, Gracyanne Barbosa1, Nana Gouvêa, entre outras.

 

As principais agremiações participantes são:  a Casamba, Samuca, Grasifs e Unidos da Vila Alemã.

 

 

SAMUCA - Grêmio Recreativo Cultural Beneficente Escola de Samba:

 

Na década de 70, nascia em Rio Claro, interior do estado de São Paulo, o Grêmio Recreativo Cultural Beneficente Escola de Samba SAMUCA. A origem da escola, repleta de animadas comemorações familiares, que com o passar do tempo e o incentivo da família, recebe o nome de Tocata, uma referência ao ato de tocar, passando assim, a alegrar os mais variados ambientes.

 

Pouco a pouco, novos elementos foram se juntando a essa Tocata, inclusive o jovem Hidalgo Romeiro Lopes, que pela seriedade com que encarava tais apresentações, foi carinhosamente apelidado de “Maestro”. Coube a ele denominar muito adequadamente o grupo de “SAMUCA”, que quer dizer SAmba, MUlher e CAchaça.

 

Surgiu dessa forma a “Samuca Tocada”, que posteriormente participariam de sucessivos blocos carnavalescos, como: “Os Vestibulandos” em 1971, ”Vai Quem Quer” em 1972, “Os Cigaratas” em 1973 e “Estamos aí”, em 1974.

 

Em 11 de novembro de 1974, esses jovens se reúnem na chácara Santa Cecília, de propriedade do saudoso Sr. Olimpio Wetten, que assina uma ata de fundação da agora “Escola de Samba Samuca”. Assim a Escola de Samba “SAMUCA”, aparece pela primeira vez em 1975, com o tema “Samuca no Havaí”. Suas cores, azul e branca foram escolhidas por unanimidade, e o símbolo um golfinho pelo fato de traduzir a conduta, ou seja, simpatia, inteligência, cordialidade, amizade e cooperativismo dos seus componentes.

 

Através da iniciativa dos samuqueiros Gabriel Secco (Bié), Paulinho Zanardi e Gusto (in memória), a Escola de Samba SAMUCA passou a sediar na Rua 10 com o número 817, um salão localizado no bairro Boa Morte. A diretoria era composta pelo presidente José Arcanjo Sartori (Balú), José Rui Bianchi como vice presidente, Israel Bíscaro (Lim) como tesoureiro e Carlos Alberto Leite (Carlão) como diretor de Carnaval.

 

Em 1980 a SAMUCA conquistou seu terceiro título e deu a virada em matéria de escolas de samba em Rio Claro, trazendo muitas inovações e fazendo com que o município recebesse o título de: “Rio Claro, A Capital da Alegria”.

 

A partir de 1981 iniciou a construção da sede própria na Avenida 9 número 1200, que foi inaugurada pela escola madrinha G.R.E.S. Beija Flor de Nilópolis do Rio de Janeiro, com presenças de Joãozinho Trinta e sua maior da época: A Piná.

 

Com o tempo a sede da SAMUCA se tornou um dos melhores e mais bem freqüentados point da cidade, e já foi palco de grandes nomes da Música Popular Brasileira. Entre eles os grupos de samba Só Pra Contrariar, Exaltasamba, Art Popular, a cantora Leci Brandão, e cantor e apresentador Netinho.

 

Hoje a sede da SAMUCA se transformou em um dos pontos mais frequentados da cidade de fevereiro a fevereiro. Em 2007 e 2008, a escola contou com grandes nomes do carnaval, tais como: Nana Gouvêa, o intérprete Douglinhas e o carnavalesco Mauro Quintaes.

 

Em 2011, Teve como carnavalesco Edgley Cunha, que já foi carnavalesco de escolas, como: Ponte e Estácio1 , além de ter continuado com o intérprete Douglinhas e como rainha de bateria Viviane Araújo, sendo campeã.

 

Em 2012, Mauro Quintaes retornou como carnavalesco da escola, Daniel Collête estreou como intérprete da azul e branco e Viviane Araújo foi novamente a rainha da bateria. A escola sagrou-se bicampeã, conquistando o seu 14º título.

 

Em 2013, a presidência da escola passou para Welson Camargo. Daniel Collête se manteve como intérprete da escola, e Dani Bolina estreou como rainha de bateria. Por fim a escola acabaria por conquistar seu 15º título do carnaval.

 

No ano de 2014, a escola contou com a volta de Douglinhas como puxador, e com Cacau Colucci no posto de Rainha de Bateria. Pela terceira vez em sua história recebeu nota 10 em todos os quesitos, conseguindo o inédito tetracampeonato.

 

No Carnaval 2015, a Azul e Branca apresenta o enredo ‘No encanto e na magia, Samuca 40 anos de alegria’. Presidida por Welson Camargo, a agremiação vai contar a história, os costumes e as tradições ciganas, cujas raízes se entrelaçam com os seus princípios.

 

“Os ciganos representam a família, um povo festeiro, a magia e o encanto. E assim é a família Samuqueira. Vamos comemorar as quatro décadas de fundação da escola com a mesma festa que a cultura cigana representa”, diz o presidente.

 

A Samuca evoca Santa Sara – venerada pelo povo cigano – para abençoar sua passagem pela Passarela do Samba.

 

 

 

‘No encanto e na magia, Samuca 40 anos de alegria’